Afinal, é preciso dar atenção para as atividades complementares de graduação?

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Antes de chegar ao tão sonhado dia da formatura, você deve se certificar de que cumpriu as horas exigidas de atividades complementares na faculdade. Elas são necessárias para concluir a maioria dos cursos superiores. Isso quer dizer que se você não preencher a carga horária mínima, poderá ficar impossibilitado de receber o diploma.

Não sabe exatamente como isso funciona? Sem crise! Este post explica tudo o que você precisa saber sobre o aprendizado extracurricular na graduação. Descubra, agora, o que são atividades complementares, por que elas são tão importantes durante a jornada acadêmica e quais são as opções de tarefas e compromissos para completar o seu currículo universitário. Vamos lá?

Entenda o que são atividades complementares

São opções de aprendizado que não fazem parte da grade obrigatória do estudante. Como o nome já diz, elas são um complemento às disciplinas curriculares. O objetivo é somar mais experiências à formação do aluno e otimizar seu aproveitamento acadêmico, bem como favorecer sua evolução profissional, social e cultural.

Os compromissos extracurriculares permitem que o estudante tenha contato com a realidade da profissão, sob diferentes aspectos. Dessa forma, o universitário é incentivado a aprimorar o conhecimento e lapidar as habilidades conquistadas no decorrer da graduação.

O mais interessante dessas atividades é que o aluno tem a oportunidade de ir além do modelo didático tradicional. Assim, você também pode ter experiências produtivas fora do ambiente acadêmico habitual.

As atividades complementares podem ser externas — cursos livres, estágios não obrigatórios, participação em congressos, workshops etc. — ou realizadas na própria faculdade, como monitoria e iniciação científica. Elas também são divididas em três categorias: ensino, pesquisa e extensão.

As opções extracurriculares incentivam o estudante a ter mais autonomia em seu aprendizado e, posteriormente, mais independência intelectual e profissional. Isso porque é o próprio aluno quem escolhe quais atividades quer realizar para complementar seus estudos. Além disso, a carga horária é bem flexível e os compromissos extras podem ser cumpridos inclusive nas férias. Cabe ao acadêmico, portanto, fazer a gestão dessas horas.

E um ponto fundamental a ser levantado é a relevância das atividades complementares para o desenvolvimento das competências técnico-científicas, humanísticas, sociais e interpessoais do estudante. Para que seja realmente proveitoso, você deve optar por tarefas que tenham impacto positivo na sua formação e no seu currículo, e não realizá-las somente por obrigatoriedade e contagem de carga horária.

Conheça os diferentes tipos de atividades extracurriculares

Algo que deixa os universitários confusos é sobre o tipo de exercício que vale como hora complementar. Na verdade, isso é definido pela própria instituição de ensino. Enquanto algumas faculdades exigem projetos de pesquisa, outras podem aceitar até relatórios de filmes. A seguir, veja exemplos de atividades que você pode realizar para agregar valor à sua formação acadêmica.

Iniciação científica

A iniciação científica é um excelente complemento para o currículo acadêmico e é ideal para os alunos que se interessam pela área de pesquisa. Trata-se de uma oportunidade enriquecedora, mesmo para quem não tem o propósito de atuar como pesquisador.

Projetos de pesquisa supervisionados e publicação de artigos são algumas das atividades realizadas na iniciação científica. Um ponto forte dessa opção é que o estudante já começa a se preparar para uma futura pós-graduação stricto sensu, caso queira seguir por esse caminho.

Empresa júnior

As empresas juniores colocam o universitário em contato com a realidade da profissão que ele pretende seguir. É uma oportunidade de experimentar o ambiente corporativo e aplicar na prática os conhecimentos que ele tem adquirido na faculdade.

A participação nesse tipo de atividade destaca o interesse do estudante pelo mercado de trabalho. Além disso, essa experiência o ajuda a desenvolver certas habilidades e competências, como foco, disciplina e trabalho em equipe.

Por fim, também é uma maneira de o jovem crescer no aspecto social e contribuir com a comunidade. Os serviços oferecidos por empresas juniores são, em geral, gratuitos ou têm custo reduzido para facilitar o acesso da população com baixa renda.

Estágios não obrigatórios

Estágios supervisionados já fazem parte da grade curricular do estudante e o capacitam para o exercício da profissão. Somado a isso, muitos universitários buscam, desde os primeiros períodos da faculdade, uma oportunidade para ingressar na área, fora do ambiente acadêmico.

Os estágios não obrigatórios oferecem um novo panorama ao futuro profissional e permitem que o jovem vivencie diferentes experiências que vão influenciar no seu crescimento. Essa é uma opção bastante vantajosa de atividade complementar, já que também garante remuneração e abre portas para possíveis contratações efetivas.

Trabalhos voluntários

O voluntariado é outro exercício extracurricular muito construtivo. É uma chance de prestar auxílio em projetos sociais e fazer a diferença na vida de pessoas que necessitam de amparo. É o tipo de atividade que proporciona uma vivência enriquecedora para o estudante e o prepara para a vida adulta.

A participação em causas sociais também é vista com bons olhos pelos empregadores, já que demonstra motivação, proatividade, disciplina e interesse pelas necessidades da comunidade.

Monitoria

A monitoria é um instrumento de ensino-aprendizagem que promove desenvolvimento tanto para o estudante que a oferece quanto para os alunos que a recebem. Também é uma forma de estreitar as relações com os professores, e isso significa ampliar o networking.

A prática da monitoria é realizada por acadêmicos que auxiliam o trabalho dos docentes. O objetivo é esclarecer as dúvidas dos universitários de outros semestres, em relação às tarefas de ensino e pesquisa. Além do reforço no próprio aprendizado, os monitores ainda podem contar com a possibilidade de conseguir bolsas de estudos, dependendo da política da instituição de ensino.

Cursos online

As atividades complementares na categoria de extensão incluem cursos livres, cujo conteúdo programático seja relacionado à área de formação do aluno. Um exemplo prático e acessível são os cursos online.

Para quem tem a rotina atribulada e pouco tempo para compromissos acadêmicos extracurriculares, os cursos digitais são uma opção viável. Dessa forma, o estudante pode complementar os estudos conforme sua disponibilidade. Também é uma boa alternativa para aprimorar o conhecimento em conteúdos específicos, que despertem o interesse do aluno.

A lista de atividades complementares é ainda maior do que as opções que apresentamos até agora. Outras possibilidades de expandir o aprendizado estão em:

  • seminários, palestras e congressos;

  • intercâmbios culturais;

  • estudo de idiomas;

  • participação em centros acadêmicos/atlética, grupos de estudo e outros círculos universitários;

  • presença, como ouvinte, em apresentação de trabalhos de conclusão — como monografias ou teses de doutorado — desde que sejam relacionados à graduação do estudante.

Em resumo, as atividades complementares representam uma carga horária necessária para a conclusão do curso superior. No entanto, não se trata apenas de um requisito obrigatório para a formação. As opções extracurriculares promovem o desenvolvimento profissional, intelectual, social e pessoal do aluno. Afinal, todo aprendizado gera evolução!

Gostou de saber um pouco mais sobre as atividades complementares? Temos muitos outros conteúdos informativos como este! Para receber nossas atualizações diretamente na sua caixa de e-mail, não se esqueça de assinar a newsletter.

Quer receber conteúdos que vão te ajudar na escolha da carreira?

Cadastre-se e receba por e-mail conteúdos exclusivos e em primeira mão!

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter