Conheça nossa Estrutura Organizacional

  • Histórico
  • NAPI
  • PDI
  • CPA
  • Conselho/Diretoria
  • Coordenações
  • Gerência
  • Atendimento RCA

30 anos de Pioneirismo e Qualidade 

A Faculdade de Rondônia (Faro) é uma Instituição de Ensino Superior (IES) sediada na cidade de Porto Velho, capital do Estado de Rondônia. Criada em 1988 pelo Decreto Ministerial nº. 96.977/88, a Faro tornou-se, desde então, parte da história de Rondônia e uma referência em educação superior na Região Norte do Brasil. Sua contribuição à sociedade pode ser avaliada pelos altos índices de aprovação de seus egressos em concursos públicos, exames de ordem, inserção no mercado de trabalho e desempenho profissional. O reconhecimento de sua qualidade está registrado na alta pontuação de seus cursos na avaliação do Ministério da Educação (MEC).

A partir de 2008, a Faro passou a ter o Instituto João Neórico como instituição mantenedora e ganhou mais apoio para crescer e aperfeiçoar-se. Todos os seus cursos cumprem e até superam as exigências legais e as normas da educação brasileira. Seu corpo docente conta com Especialistas, Mestres e Doutores que garantem a qualidade do ensino e conduzem uma formação empreendedora adequada à contínua evolução do mercado de trabalho. A infraestrutura fornece o melhor suporte, com laboratórios e equipamentos que acompanham as inovações tecnológicas contemporâneas.

Cursos de Graduação da Faro:

Cursos de Pós-Graduação "Lato sensu":

A Faro desenvolve a formação acadêmica com qualidade e responsabilidade social. Está voltada para o futuro, atenta às inovações tecnológicas e atualizada com as novas tendências do desenvolvimento social, econômico e cultural no mundo contemporâneo. Além de conduzir uma formação empreendedora do acadêmico, preparando-o para o mercado de trabalho, a Faro dá plena atenção à pesquisa e à extensão, oferecendo as melhores condições para atividades e projetos que beneficiam, diretamente, a sociedade e a economia de Rondônia e da Amazônia brasileira.

O Apoio Necessário

A Faculdade de Rondônia – Faro disponibiliza aos alunos e professores um setor que atua nas questões pedagógicas e psicopedagógicas relacionadas ao processo de ensino e aprendizagem de todos os envolvidos no âmbito educacional, bem como o assessoramento com ações de natureza didático-pedagógica visando potencializar a melhoria da qualidade de ensino e a humanização dos que integram a IES, na sua organização e funcionamento.

O Núcleo é formado por uma equipe multidisciplinar: Pedagoga e Psicóloga.

Competências do NAPI:

  • Mediar dificuldade de relações interpessoais dos docentes e discentes;
  • Assessorar a prática pedagógica para a melhoria da qualidade de ensino, pesquisa e extensão.
  • Promover momentos de reflexões sobre a ação docente para a atuação de uma práxis interdisciplinar;
  • Diagnosticar e acompanhar acadêmicos com dificuldades de aprendizagem;
  • Realizar e acompanhar a atividade do Programa de Monitoria Acadêmica-PAM.
  • Apoiar pedagogicamente os professores da IES nos seus planejamentos e avaliações da ação pedagógica docente.
  • Promover oficinas pedagógicas, sessões de estudos e cursos de curta duração de acordo com a necessidade do âmbito educativo e interesse do corpo docente.
  • Propor metodologias de ensino democráticas, eficientes e inclusivas.
  • Elaborar, orientar, acompanhar e executar projetos de fortalecimento dos estudos nos cursos que passarão pelo crivo do ENADE.
  • Ouvir e orientar acadêmicos e/ou acadêmicas com problemas comportamentais e/ou de aprendizagem.
  • Analisar e orientar acadêmicos e/ou acadêmicas que apresentem dificuldades de relacionamento interpessoal, de adaptação e motivação na dimensão acadêmica e profissional.
  • Diagnosticar e encaminhar acadêmicos e/ou acadêmicas que apresentarem necessidades de acompanhamento para outros profissionais e/ou serviços especializados dependendo da queixa apresentada.
  • Observar as necessidades dos acadêmicos e/ou acadêmicas prestando atenção nas patologias, no sofrimento psicológico e nos mecanismos que permeiam o fracasso nos estudos.
  • Promover inclusão escolar com um Atendimento Educacional Especial – AEE, para acadêmicos e/ou acadêmicas que apresentem deficiências.
  • Realizar interferências psicopedagógicas partindo de uma visão contextualizada dos instrumentos e explicações psicopedagógicas, levando em considerações à complexidade das situações educacionais e da necessidade de compreendê-las para poder intervir nas mesmas.

Objetivando primar pela saúde mental e psicológica dos acadêmicos da Faro, o Núcleo de Apoio Psicopedagógico Institucional – NAPI desenvolveu o projeto "Faro pela Vida", com realizações de palestras, mesa redonda e oficinas com temas de grande relevância social e importância para estruturação psicológica dos alunos.

Trabalho de ouvidoria, que consiste no recebimento de sugestões e/ou críticas e reclamações do âmbito acadêmico compreendendo: estudantes, professores, objetivando estabelecer uma comunicação dialógica democrática, identificando as necessidades entraves existentes, bem como a busca de possíveis soluções para as queixas, problemas e/ou indagações apresentadas, com os setores competentes

Atendimentos

Em virtude do processo pandêmico e objetivando o atendimento com segurança dos acadêmicos e professores, o Núcleo de Apoio Psicopedagógico Institucional – NAPI está atendendo de forma remota, através da plataforma TEAMS, para orientação psicológica, psicopedagógica ou queixas de cunho psicopedagógico.

Para agendamento de atendimentos:

1. Digite no chat do teams o nome de uma das professoras integrantes da equipe do setor: Selena Castiel ou Neire Abreu.

2. Após esse primeiro contato (via chat do Teams), será agendado um horário para o atendimento online.

Conte conosco. O NAPI está com você!

Estratégia e Identidade da Faro

O Plano de Desenvolvimento Institucional da Faro (PDI) estabelece suas metas para um período de xx anos e as estratégias para alcançá-las, conforme a legislação do ensino superior no Brasil. Mas, não é apenas um documento de planejamento, estabelece, também, os princípios que movem a instituição e os valores que orientam as suas ações e serviços. No PDI está expressa a identidade da Faro e o papel que almeja desempenhar no desenvolvimento do país e, em especial, da região em que a instituição nasceu.

Missão

  • Promover uma educação diferenciada, geradora de inovações científicas, tecnológicas e culturais, que possibilite o desenvolvimento do cidadão com visão empreendedora e responsabilidade social.

Visão

  • Ser um centro de excelência em educação superior, creditado como Instituição de referência nacional no ensino, pesquisa e extensão.

Valores

  • Ética em todos os níveis de ação;
  • Respeito à diversidade e ao pluralismo de ideias, sem discriminação de qualquer natureza;
  • Indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão;
  • Universidade do conhecimento e fomento à interdisciplinaridade;
  • Compromisso com a qualidade, com a orientação humanística e com a preparação para o exercício pleno da cidadania ao executar suas atividades;
  • Compromisso com a democratização da educação, no que concerne à gestão, à igualdade de oportunidades de acesso e à socialização de seus benefícios;
  • Compromisso com a democracia e com o desenvolvimento cultural, artístico, científico, tecnológico e socioeconômico do país;
  • Compromisso com a paz, com a defesa dos direitos humanos e com a preservação do meio ambiente;
  • Liberdade de expressão e comunicação;
  • Autonomia didático-científica;
  • Transparência nas ações.

Autoavaliação Permanente

O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) foi criado por Lei em abril de 2004 e regulamentado através de portaria do MEC em julho daquele mesmo ano. Atendendo aos requisitos legais, a Faro constituiu sua primeira Comissão Própria de Avaliação (CPA) no ano de 2006 com vigência de dois anos. A segunda Comissão foi eleita e nomeada pelo Conselho Superior da Faro em 2009. A terceira Comissão, atualmente em exercício, foi eleita e nomeada em 2011.

Para a Faro, a autoavaliação não tem apenas a função de atender às exigências legais, mas é uma necessidade e um princípio fundamental, pois se constitui em um referencial que norteia as ações e decisões da Instituição em busca da melhoria permanente da qualidade da Educação Superior, do aprofundamento dos compromissos e responsabilidades sociais e da promoção dos valores democráticos.

Os princípios que norteiam o Projeto de Avaliação Institucional da Faro:

  1. Extensão: necessidade de avaliar todo o complexo de atividades;
  2. Interrelacionamento: busca uniformidade básica de metodologia entre seus indicadores e as dimensões da avaliação externa;
  3. Legitimidade: tem legitimidade técnica, conduzindo os projetos de forma transparente, viável e confiável;
  4. Continuidade: garante a continuidade permanente do processo;
  5. Subsídio: fornece informações fidedignas à Administração Superior para a tomada de decisões com qualidade.

Variáveis e Indicadores Avaliados na Faro:

  1. Docentes: titulação, forma de ingresso, regime de trabalho e qualificação;
  2. Discentes: participação em projetos (como bolsistas, colaboradores, voluntários), participação em conselhos, colegiados e reuniões estudantis;
  3. Infraestrutura: condições ambientais de trabalho e estado de conservação e disponibilidade dos equipamentos para trabalho dos funcionários;
  4. Gestão: procedimentos de distribuição de disciplinas, acompanhamento do coordenador no desenvolvimento das disciplinas, orientação acadêmica para alunos ingressantes, atendimento dos servidores ao acadêmico, incentivo à qualificação, atuação em colegiados e conselhos, ações para solução de problemas acadêmicos e avaliação da existência e da qualidade do acervo suficiente.
  5. Insumos: relação professor/ensino, professor/alunos e funcionário/gestor, planejamento do professor e da coordenação, procedimentos e instrumentos didáticos mais utilizados, instrumentos de avaliação mais utilizados, coerência da avaliação com os objetivos e encadeamento lógico das disciplinas;
  6. Pessoal Administrativo: titulação, satisfação com a IES, relacionamento com discentes, docentes e demais colegas de trabalho.

Ações e Metodologia da Avaliação

As ações de avaliação, assim como a divulgação dos resultados, seguem uma agenda de atividades baseadas no projeto de autoavaliação da Faro. De acordo com os requisitos do SINAES, essas ações têm etapas coordenadas: a preparação, o desenvolvimento e a consolidação.

Iniciam-se com reuniões de sensibilização e seminários envolvendo discentes, docentes e funcionários do corpo administrativo na confecção da agenda de trabalho, definição de instrumentais de coleta de dados e análise do novo projeto de autoavaliação. Segue-se a aplicação das avaliações aos alunos, funcionários e professores e, posteriormente, a sistematização dos resultados e encaminhamento do relatório-síntese à Coordenação Acadêmica, com apresentação de informações necessárias para identificar as oportunidades de melhorias e ações que venham minimizar problemas, eventualmente, diagnosticados.

A autoavaliação da Faro é coordenada pelos membros da CPA, que organizam sub-grupos para as dez dimensões avaliadas. São confeccionados questionários, distribuídos como impressos e/ou online no portal Faro, adaptados a cada segmento de acordo com suas funções na instituição. Os instrumentos e a metodologia para coleta de dados também são definidos em reuniões com os membros da CPA e dos subgrupos, que consideram as dimensões estabelecidas pela Lei e acrescentam outras indagações, observando as especificidades da cultura regional e organizacional.

Anualmente, alunos, professores e equipe técnico-administrativa avaliam o conjunto da Instituição. Semestralmente, os acadêmicos avaliam o corpo docente no que se refere ao processo ensino-aprendizagem

Legislação e Documentos Oficiais

Lei 10.861, de 14 de abril de 2004 – Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES e dá outras providências.

Portaria 2.051, de 9 de julho de 2004 – Regulamenta os procedimentos de Avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES.

CONAES (Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior) – Orientações Gerais para o Roteiro da Auto-Avaliação das Instituições.

Sugestão de roteiro para elaboração do relatório de auto-avaliação.

Mantenedor - INSTITUTO JOÃO NEÓRICO

Presidência
[email protected]

Mantida - FACULDADE DE RONDÔNIA - FARO

Diretoria Executiva
[email protected]
(69)3217-5154

Secretaria Executiva
[email protected]
(69)3217-5154

Subdiretoria Operacional
[email protected]
(69)3217-5176

Subdiretoria Acadêmica
[email protected]
(69)3217-5136

Procuradoria Educacional Institucional - PI
[email protected]
(69)3217-5136

Recepção das Coordenações
(69) 3217-5117

Coordenação de Administração
(69) 3217-5139 -  [email protected]  

Coordenação de Ciências Contábeis
(69) 3217-5139 - [email protected]  

Coordenação de Direito
(69) 3217-5140 - [email protected]

Coordenação do Núcleo de Prática Jurídica - NPJ
(69) 2182-5100 - [email protected]  

Coordenação de Engenharia Civil
(69) 3217-5157 - [email protected]  

Coordenação de Engenharia Florestal
(69) 3217-5157 - [email protected]   

Coordenação do Núcleo de Apoio Pedagógico Institucional- NAPI
(69) 3217-5159 - [email protected]  

Coordenação de Registro e Controle Acadêmico
(69) 3217-5150 - [email protected]  

Coordenação de Biblioteca
(69) 3217-5125 - [email protected]  

Coordenação de Pesquisa e Extensão
(69)3217-5114 - [email protected]  

Coordenação de Pós-Graduação
(69) 32175151 \ 9995-5044 - [email protected]

Gerência de T.I.
[email protected]
(69) 3217-5126

Coordenação de Registro e Controle Acadêmico:

[email protected]
(69)3217-5102

Horário de Atendimento:
Das 8h às 21h

Serviços Oferecidos:

A Coordenação de Registro e Controle Acadêmico está à disposição para orientar os acadêmicos em qualquer dificuldade relacionada à vida acadêmica.

Todas as solicitações de documentos ou serviços devem ser requeridas através de requerimento próprio da Instituição e protocoladas na Coordenação de Registro e Controle Acadêmico. Recolher as taxas devidas. Em seguida serão encaminhados aos setores correspondentes para análise.

Documentos e processos que podem ser requeridos e protocolados:

  • Acompanhamento Especial
  • Aproveitamento de Disciplinas
  • Assinatura de Estágio
  • Cancelamento de Matrícula
  • Certificado de Conclusão de Curso
  • Declaração Financeira
  • Declaração de Matrícula
  • Declaração de Previsão de Conclusão de Curso
  • Declaração de Disciplinas e Horários
  • Dispensa da Prática Jurídica
  • Histórico Escolar
  • Pedido de Trancamento de Matrícula
  • Programa de Disciplinas Cursadas
  • Prova de 2ª Chamada
  • Reingresso
  • Solicitação de Diploma
  • Solicitação de Vaga (Transferência)
  • Solicitação de Vaga Portador de Diploma
  • Outros

Observações:
Os documentos não retirados no prazo de 30 (trinta) dias úteis a contar da data de expedição serão inutilizados.

 

Informações

Emissão de 2ª VIA do Diploma 
Valor: R$ 425,65 

Abono de Faltas
Não há previsão legal para abono de faltas. O que pode existir, mediante solicitação expressa protocolada na Coordenação de Registro e Controle Acadêmico, é a concessão de atendimento especial, que é um regime de compensação de ausências justificadas às aulas, somente nos casos expressamente previstos em lei, ou seja, licença maternidade, doenças infectocontagiosas e o afastamento por serviço militar.

Das Faltas
A frequência mínima exigida é de 75% (setenta e cinco por cento) de comparecimento às aulas e demais atividades programadas nas disciplinas, sendo reprovado o aluno que não alcançar a frequência mínima, independente do rendimento obtido.

Documentos em Geral
Declaração de Matrícula, Histórico, Certificados, Conteúdos de Disciplinas Cursadas (Ementas). Preencher solicitação e pagar taxa correspondente.

Matrícula e Rematrícula 
Entregar os documentos necessários na setor de Registro e Controle Acadêmico. O prazo será divulgado na IES, serão verificados horários, pendências e documentos.

Prova de 2ª chamada
Preencher solicitação expondo os motivos após a realização da prova.

Revisão de Prova
Preencher requerimento expondo as questões a serem revisadas, no máximo 03 dias após a divulgação da nota. Só poderão ser revisadas provas feitas a caneta.

Trancamento de Matrícula
Preencher requerimento próprio, expondo os motivos, no prazo previsto no Calendário Acadêmico. Para realizar o trancamento é necessário estar em dia com as mensalidades e regularmente matriculado no período.

Cancelamento de Matrícula – Preencher a solicitação expondo os motivos a qualquer tempo. O simples abandono do curso implica na manutenção do compromisso financeiro.

Reingresso
É o processo pelo qual alunos veteranos que interromperam seu curso por desistência, solicitam seu retorno mediante requerimento ao Coordenador do Curso.

Licença Maternidade
A aluna regularmente matriculada, que estiver em estado de gestação poderá, a partir do oitavo mês de gravidez, requerer a licença maternidade anexando atestado médico, amparada pela Lei Federal nº 6.202/75 de 17/04/75.

Aproveitamento de Disciplinas
Preencher requerimento próprio, devendo ser anexado o histórico escolar e o programa desenvolvido na disciplina (ementa), com a respectiva carga horária e o número de créditos obtidos.

30 anos de pioneirismo e qualidade 

A Faculdade de Rondônia (FARO) é uma Instituição de Ensino Superior (IES) sediada na cidade de Porto Velho, capital do Estado de Rondônia. Criada em 1988 pelo Decreto Ministerial nº. 96.977/88, a FARO tornou-se, desde então, parte da história de Rondônia e uma referência em educação superior na Região Norte do Brasil. Sua contribuição à sociedade pode ser avaliada pelos altos índices de aprovação de seus egressos em concursos públicos, exames de ordem, inserção no mercado de trabalho e desempenho profissional. O reconhecimento de sua qualidade está registrado na alta pontuação de seus cursos na avaliação do Ministério da Educação (MEC).

A partir de 2008, a FARO passou a ter o Instituto João Neórico como instituição mantenedora e ganhou mais apoio para crescer e aperfeiçoar-se. Todos os seus cursos cumprem e até superam as exigências legais e as normas da educação brasileira. Seu corpo docente conta com Especialistas, Mestres e Doutores que garantem a qualidade do ensino e conduzem uma formação empreendedora adequada à contínua evolução do mercado de trabalho. A infraestrutura fornece o melhor suporte, com laboratórios e equipamentos que acompanham as inovações tecnológicas contemporâneas.

Cursos de graduação da FARO:

Cursos de Pós-Graduação “Lato sensu”:

A FARO desenvolve a formação acadêmica com qualidade e responsabilidade social. Está voltada para o futuro, atenta às inovações tecnológicas e atualizada com as novas tendências do desenvolvimento social, econômico e cultural no mundo contemporâneo. Além de conduzir uma formação empreendedora do acadêmico, preparando-o para o mercado de trabalho, a FARO dá plena atenção à pesquisa e à extensão, oferecendo as melhores condições para atividades e projetos que beneficiam, diretamente, a sociedade e a economia de Rondônia e da Amazônia brasileira.

O apoio necessário

Os alunos, professores e funcionários da FARO podem contar com o auxílio do Núcleo de Apoio Psicopedagógico Institucional (NAPI) nas principais questões pedagógicas e psicopedagógicas que surgem durante o processo de ensino-aprendizagem. Fatores que permeiam a interação social no interior da comunidade acadêmica ou o contato com a sociedade também são elementos de auxílio dos profissionais do NAPI. No trabalho interdisciplinar do núcleo, as dificuldades transformam-se em oportunidades de crescimento e capacitação.

 O NAPI presta atendimento permanente de segunda a sexta-feira, nos períodos matutino, vespertino e noturno. Suas ações promovem:

  • o diagnóstico e acompanhamento das dificuldades de aprendizagem;
  • a realização de encontros socializadores entre corpo docente, discente e comunidade;
  • a criação de momentos de reflexão sobre a prática educacional;
  • o apoio à solução de problemas com base na leitura da realidade e interpretação de sua etiologia, seu estado e sua evolução;
  • o diálogo como forma de detectar o problema;
  • a escuta, observação e a busca de informação reais para chegar à abordagem adequada em cada situação;
  • o respeito ao sujeito, profissional ou em formação, promovendo sua capacidade e autonomia em qualquer situação.

O NAPI, também, se estrutura em projetos que visam a constante evolução da comunidade acadêmica em todos os aspectos: sociais, culturais, históricos, pedagógicos e psicológicos. Seu projeto inicial e básico é o de monitoria, atividade que é exercida por acadêmicos selecionados para auxiliar os professores no ensino de um componente curricular, principalmente, nas atividades didático-pedagógicas.

Estratégia e Identidade da FARO

O Plano de Desenvolvimento Institucional da FARO (PDI) estabelece suas metas para um período de xx anos e as estratégias para alcançá-las, conforme a legislação do ensino superior no Brasil. Mas, não é apenas um documento de planejamento, estabelece, também, os princípios que movem a instituição e os valores que orientam as suas ações e serviços. No PDI está expressa a identidade da FARO e o papel que almeja desempenhar no desenvolvimento do país e, em especial, da região em que a instituição nasceu.

Missão

  • Promover uma educação diferenciada, geradora de inovações científicas, tecnológicas e culturais, que possibilite o desenvolvimento do cidadão com visão empreendedora e responsabilidade social.

Visão

  • Ser um centro de excelência em educação superior, creditado como Instituição de referência nacional no ensino, pesquisa e extensão.

Valores

  • Ética em todos os níveis de ação;
  • Respeito à diversidade e ao pluralismo de ideias, sem discriminação de qualquer natureza;
  • Indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão;
  • Universidade do conhecimento e fomento à interdisciplinaridade;
  • Compromisso com a qualidade, com a orientação humanística e com a preparação para o exercício pleno da cidadania ao executar suas atividades;
  • Compromisso com a democratização da educação, no que concerne à gestão, à igualdade de oportunidades de acesso e à socialização de seus benefícios;
  • Compromisso com a democracia e com o desenvolvimento cultural, artístico, científico, tecnológico e socioeconômico do país;
  • Compromisso com a paz, com a defesa dos direitos humanos e com a preservação do meio ambiente;
  • Liberdade de expressão e comunicação;
  • Autonomia didático-científica;
  • Transparência nas ações.
  • Autoavaliação permanente

    O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) foi criado por Lei em abril de 2004 e regulamentado através de portaria do MEC em julho daquele mesmo ano. Atendendo aos requisitos legais, a FARO constituiu sua primeira Comissão Própria de Avaliação (CPA) no ano de 2006 com vigência de dois anos. A segunda Comissão foi eleita e nomeada pelo Conselho Superior da FARO em 2009. A terceira Comissão, atualmente em exercício, foi eleita e nomeada em 2011.

    Para a FARO, a autoavaliação não tem apenas a função de atender às exigências legais, mas é uma necessidade e um princípio fundamental, pois se constitui em um referencial que norteia as ações e decisões da Instituição em busca da melhoria permanente da qualidade da Educação Superior, do aprofundamento dos compromissos e responsabilidades sociais e da promoção dos valores democráticos.

    Os princípios que norteiam o Projeto de Avaliação Institucional da FARO:

    1. Extensão: necessidade de avaliar todo o complexo de atividades;
    2. Interrelacionamento: busca uniformidade básica de metodologia entre seus indicadores e as dimensões da avaliação externa;
    3. Legitimidade: tem legitimidade técnica, conduzindo os projetos de forma transparente, viável e confiável;
    4. Continuidade: garante a continuidade permanente do processo;
    5. Subsídio: fornece informações fidedignas à Administração Superior para a tomada de decisões com qualidade.

    Variáveis e Indicadores Avaliados na FARO:

    1. Docentes: titulação, forma de ingresso, regime de trabalho e qualificação;
    2. Discentes: participação em projetos (como bolsistas, colaboradores, voluntários), participação em conselhos, colegiados e reuniões estudantis;
    3. Infraestrutura: condições ambientais de trabalho e estado de conservação e disponibilidade dos equipamentos para trabalho dos funcionários;
    4. Gestão: procedimentos de distribuição de disciplinas, acompanhamento do coordenador no desenvolvimento das disciplinas, orientação acadêmica para alunos ingressantes, atendimento dos servidores ao acadêmico, incentivo à qualificação, atuação em colegiados e conselhos, ações para solução de problemas acadêmicos e avaliação da existência e da qualidade do acervo suficiente.
    5. Insumos: relação professor/ensino, professor/alunos e funcionário/gestor, planejamento do professor e da coordenação, procedimentos e instrumentos didáticos mais utilizados, instrumentos de avaliação mais utilizados, coerência da avaliação com os objetivos e encadeamento lógico das disciplinas;
    6. Pessoal Administrativo: titulação, satisfação com a IES, relacionamento com discentes, docentes e demais colegas de trabalho.

    Ações e Metodologia da Avaliação

    As ações de avaliação, assim como a divulgação dos resultados, seguem uma agenda de atividades baseadas no projeto de autoavaliação da FARO. De acordo com os requisitos do SINAES, essas ações têm etapas coordenadas: a preparação, o desenvolvimento e a consolidação.

    Iniciam-se com reuniões de sensibilização e seminários envolvendo discentes, docentes e funcionários do corpo administrativo na confecção da agenda de trabalho, definição de instrumentais de coleta de dados e análise do novo projeto de autoavaliação. Segue-se a aplicação das avaliações aos alunos, funcionários e professores e, posteriormente, a sistematização dos resultados e encaminhamento do relatório-síntese à Coordenação Acadêmica, com apresentação de informações necessárias para identificar as oportunidades de melhorias e ações que venham minimizar problemas, eventualmente, diagnosticados.

    A autoavaliação da FARO é coordenada pelos membros da CPA, que organizam sub-grupos para as dez dimensões avaliadas. São confeccionados questionários, distribuídos como impressos e/ou online no portal FARO, adaptados a cada segmento de acordo com suas funções na instituição. Os instrumentos e a metodologia para coleta de dados também são definidos em reuniões com os membros da CPA e dos sub-grupos, que consideram as dimensões estabelecidas pela Lei e acrescentam outras indagações, observando as especificidades da cultura regional e organizacional.

    Anualmente, alunos, professores e equipe técnico-administrativa avaliam o conjunto da Instituição. Semestralmente, os acadêmicos avaliam o corpo docente no que se refere ao processo ensino-aprendizagem

    Legislação e Documentos Oficiais

    Lei 10.861, de 14 de abril de 2004 – Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES e dá outras providências.

    Portaria 2.051, de 9 de julho de 2004 – Regulamenta os procedimentos de Avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES.

    CONAES (Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior) – Orientações Gerais para o Roteiro da Auto-Avaliação das Instituições.

    Sugestão de roteiro para elaboração do relatório de auto-avaliação.

Mantenedor – INSTITUTO JOÃO NEÓRICO

Presidência
Neórico Alves de Souza
[email protected]

Mantida – FACULDADE DE RONDÔNIA – FARO

Diretoria Executiva
Sebastião Getúlio de Brito
[email protected]
(69)3217-5154

Secretaria Executiva
[email protected]
(69)3217-5154

Subdiretoria Operacional
João Custódio de Souza
[email protected]
(69)3217-5176

Subdiretoria Acadêmica
Jéssica Peixoto Cantanhede
[email protected]
(69)3217-5136

Procuradoria Educacional Institucional – PI
[email protected]
(69)3217-5136

Recepção das Coordenações
(69)3217-5117

Coordenação de Administração
(69)3217-5139 –  [email protected]  

Coordenação de Ciências Contábeis
(69)3217-5139 – [email protected]  

Coordenação de Direito
(69)3217-5140 – [email protected]

Coordenação do Núcleo de Prática Jurídica – NPJ
(69)2182-5100 – [email protected]  

Coordenação de Enfermagem
(69)3217-5144 – [email protected]  

Coordenação de Engenharia Civil
(69)3217-5157 – [email protected]  

Coordenação de Engenharia Florestal
(69)3217-5157 – [email protected]   

Coordenação do Núcleo de Apoio Pedagógico Institucional- NAPI
(69) 3217-5159 – [email protected]  

Coordenação de Registro e Controle Acadêmico
(69) 3217-5150 – [email protected]  

Coordenação de Biblioteca
(69) 3217-5125 – [email protected]  

Coordenação de Pesquisa e Extensão
(69)3217-5114 – [email protected]  

Coordenação de Pós-Graduação
(69) 3229-0198 – [email protected]

Gerência Administrativa e Financeira
[email protected]
(69)3217-5174

Gerência de Comunicação e Marketing
[email protected]
(69) 3217-5112

Gerência de T.I.
[email protected]
(69) 3217-5126

Coordenação de Registro e Controle Acadêmico:

Kelly Rejane Ferreira Algaranho

[email protected]
(69)3217-5102

Horário de Atendimento:
Das 8h às 21h

Serviços Oferecidos:

A Coordenação de Registro e Controle Acadêmico está à disposição para orientar os acadêmicos em qualquer dificuldade relacionada à vida escolar.

Todas as solicitações de documentos ou serviços devem ser requeridas através de requerimento próprio da Instituição e protocoladas na Coordenação de Registro e Controle Acadêmico. Recolher as taxas devidas. Em seguida serão encaminhados aos setores correspondentes para análise.

Documentos e processos que podem ser requeridos e protocolados:

  • Acompanhamento Especial
  • Aproveitamento de Disciplinas
  • Assinatura de Estágio
  • Cancelamento de Matrícula
  • Certificado de Conclusão de Curso
  • Declaração Financeira
  • Declaração de Matrícula
  • Declaração de Previsão de Conclusão de Curso
  • Declaração de Disciplinas e Horários
  • Dispensa da Prática Jurídica
  • Histórico Escolar
  • Pedido de Trancamento de Matrícula
  • Programa de Disciplinas Cursadas
  • Prova de 2ª Chamada
  • Reingresso
  • Solicitação de Diploma
  • Solicitação de Vaga (Transferência)
  • Solicitação de Vaga Portador de Diploma
  • Outros

Observações:
Os documentos não retirados no prazo de 30 (trinta) dias úteis a contar da data de expedição serão inutilizados.

Informações

Emissão de 2ª VIA do Diploma 
Valor: R$ 425,65 

Abono de Faltas
Não há previsão legal para abono de faltas. O que pode existir, mediante solicitação expressa protocolada na Coordenação de Registro e Controle Acadêmico, é a concessão de atendimento especial, que é um regime de compensação de ausências justificadas às aulas, somente nos casos expressamente previstos em lei, ou seja, licença maternidade, doenças infectocontagiosas e o afastamento por serviço militar.

Das Faltas
A frequência mínima exigida é de 75% (setenta e cinco por cento) de comparecimento às aulas e demais atividades programadas nas disciplinas, sendo reprovado o aluno que não alcançar a frequência mínima, independente do rendimento obtido.

Documentos em Geral
Declaração de Matrícula, Histórico, Certificados, Conteúdos de Disciplinas Cursadas (Ementas). Preencher solicitação e pagar taxa correspondente.

Matrícula e Rematrícula 
•Entregar os documentos necessários na setor de Registro e Controle Acadêmico. O prazo será divulgado na IES, serão verificados horários, pendências e documentos.

Prova de 2ª chamada
Preencher solicitação expondo os motivos após a realização da prova.

Revisão de Prova
Preencher requerimento expondo as questões a serem revisadas, no máximo 03 dias após a divulgação da nota. Só poderão ser revisadas provas feitas a caneta.

Trancamento de Matrícula
Preencher requerimento próprio, expondo os motivos, no prazo previsto no Calendário Acadêmico. Para realizar o trancamento é necessário estar em dia com as mensalidades e regularmente matriculado no período.

Cancelamento de Matrícula – Preencher a solicitação expondo os motivos a qualquer tempo. O simples abandono do curso implica na manutenção do compromisso financeiro.

Reingresso
É o processo pelo qual alunos veteranos que interromperam seu curso por desistência, solicitam seu retorno mediante requerimento ao Coordenador do Curso.

Licença Maternidade
A aluna regularmente matriculada, que estiver em estado de gestação poderá, a partir do oitavo mês de gravidez, requerer a licença maternidade anexando atestado médico, amparada pela Lei Federal nº 6.202/75 de 17/04/75.

Aproveitamento de Disciplinas
Preencher requerimento próprio, devendo ser anexado o histórico escolar e o programa desenvolvido na disciplina (ementa), com a respectiva carga horária e o número de créditos obtidos.