Conheça 5 carreiras que estão em alta em Rondônia

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

 

Chegou aquele momento tão esperado! A família toda passou três anos perguntando sobre seu futuro e, agora, está na hora de contar qual foi sua decisão. Mas, afinal, qual curso escolher? Onde estudar? Essas são perguntas comuns aos jovens nessa fase, e saber quais carreiras que estão em alta em Rondônia pode ajudar a respondê-las.

Sem dúvida, temos que pensar na satisfação pessoal quando escolhemos algo para fazer, principalmente uma profissão. Porém, é necessário dar atenção, também, às tendências do mercado, para não acabar com um diploma sem utilidade prática. E esse medo do meio profissional, um ambiente desconhecido, traz muita ansiedade para quem vai prestar um vestibular.

Mas tenha calma. Estamos aqui para ajudar. Vamos usar nossa experiência de mercado para te contar quais carreiras estão requisitadas em Rondônia, falando um pouco sobre cada uma delas. Assim, fica mais fácil de se decidir.

Tenha uma boa leitura!

Como escolher a carreira certa para seguir?

O colégio está ficando para trás e uma nova etapa começa. A escolha de uma carreira é colocada como sendo tão urgente quanto definitiva, e esse tipo de pressão assusta e causa estresse em qualquer pessoa. Realmente, esse não é um período tranquilo para os jovens.

Mas a verdade é que não é bem assim. A decisão de qual campo das ciências estudar é importante, claro. Afinal, são quatro, cinco ou mais anos de leituras, aulas e estágios na área. Portanto, é bom eleger um curso com o qual se tenha identificação.

Da mesma forma, é interessante já sair do colégio com uma ideia do que gosta e do que não quer para sua vida, para poder iniciar uma carreira cedo e ganhar experiência. Porém, isso não significa uma obrigação eterna.

Independentemente disso, é difícil encontrar alguém para nos orientar nesses momentos decisivos. Assim, para ajudar quem está passando por essa fase a enfrentá-la com mais tranquilidade, separamos, abaixo, algumas dicas do que fazer para escolher a carreira ideal. Confira!

Considere sua personalidade

A primeira coisa a se fazer para escolher um curso superior, especialmente a primeira graduação, é se conhecer melhor, pois, como dissemos, serão alguns anos com aulas, trabalhos, exercícios e estágios na área. Portanto, se não for algo compatível com sua personalidade, a probabilidade de frustração é grande.

Sendo assim, procure fazer uma lista de profissões que admira, matérias do colégio nas quais vai bem e nas quais vai mal, coisas do dia a dia que gosta de fazer (como hobbies, atividades de lazer e assuntos de interesse) e as que não suporta (atividades que dão vergonha ou preguiça, restrições morais ou religiosas e temas que não despertam curiosidade alguma, por exemplo).

Ao buscar por essas informações e colocá-las em um papel, seu autoconhecimento aumenta e, com isso, também cresce a confiança para fazer a escolha.

Faça um teste vocacional

Pode ser que haja certa dificuldade no exercício proposto no item anterior, seja por não saber o que escrever, seja por não conseguir imaginar as situações certas. Não tem problema. Para isso servem os testes vocacionais. Eles fazem uma série de perguntas simples, mas orientadas de modo que, ao computar as respostas no final, um perfil possa ser traçado.

Claro que esses testes não são imperativos, ou seja, eles não definem sua vocação profissional, apenas ajudam os jovens no autoconhecimento, demonstrando as áreas de interesse compatíveis com o conjunto de respostas dadas. Por isso, para melhor compreensão de sua personalidade, é interessante fazer os dois exercícios.

Pense nos seus objetivos pessoais

Reflita sobre como seria seu futuro perfeito daqui a 5, 10 ou 20 anos. É morando no campo, próximo a uma praia, à floresta ou na cidade? O que mais atrai sua atenção: boa situação financeira, fama, satisfação pessoal ou reconhecimento social? O que é mais importante: um prêmio, um cargo de responsabilidade, uma posição social privilegiada ou sua independência profissional?

Pode escolher mais de uma opção, não tem importância, pois esses são só alguns exemplos de alternativas. O ideal é especificar o cenário ao máximo, para compreender quais são seus objetivos pessoais e buscar uma carreira que possa proporcionar isso.

Pesquise sobre os cursos

Agora, tendo o autoconhecimento mais apurado, procure por informações sobre os diversos cursos que se mostrarem compatíveis com seu perfil e objetivos. Conheça quais são as possibilidades de trabalho que eles abrem, quantos semestres são necessários para se formar, como é a grade curricular e quais são as habilidades requisitadas.

Também é importante conferir onde há oferta desses cursos e quais são suas possibilidades. Em alguns casos, eles podem ser oferecidos somente em lugares distantes, saindo caro demais manter-se em outra cidade.

Converse com profissionais da área

Por mais que a internet traga uma quantidade enorme de informações e muitas fontes confiáveis, nada melhor do que ouvir de quem vive, no dia a dia, as profissões desejadas na área escolhida.

Assim, procure fazer contatos com esses profissionais por meio de amigos, colegas, parentes e conhecidos. Faça perguntas sobre a carreira, como é o trabalho, se há muita concorrência, qual a maior satisfação que a profissão traz e quais são suas maiores dificuldades. Se possível, visite o local de trabalho, para sentir o clima do cotidiano dele.

Essas informações complementarão aquelas conseguidas na pesquisa dos cursos para saber se a carreira escolhida é realmente compatível com seu perfil.

Saiba quais carreiras são tendência

Saber quais são as carreiras que estão em alta é, também, importante para se decidir por um curso superior. Afinal, é preciso que haja possibilidades de exercer o que foi aprendido na faculdade e de ter uma renda satisfatória em um futuro próximo. Esse item pode ser a diferença na escolha entre cursos equivalentes na sua preferência.

Para saber quais são as áreas profissionais mais oportunas na sua região, é preciso conferir as notícias locais, dar uma olhada nos catálogos de empregos e consultar sites ou blogs especializados.

No caso de Rondônia, nós conhecemos bem o mercado e podemos te contar. Pintou a curiosidade? Então, veja nossas dicas no tópico a seguir!

Quais são as 5 carreiras que estão em alta em Rondônia?

Nos últimos anos, mesmo com a crise que abalou o país, Rondônia vem sendo um porto seguro de crescimento econômico, impulsionado pelo agronegócio, as riquezas naturais e o turismo ecológico. Essa estabilidade tem feito com que os investimentos no estado não parem.

Mas não é só por conta de sua própria economia. A localização estratégica para o país e as potencialidades naturais, tanto de reservas minerais como de recursos hídricos, têm colocado Rondônia nos noticiários por causa de projetos como as hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio, o asfaltamento e a duplicação de rodovias e a construção de ferrovias.

O resultado da soma desses fatores é um mercado de trabalho formal que não para de crescer. E dentro dele, algumas carreiras se destacam. Confira abaixo 5 das áreas profissionais que estão em alta no estado e têm uma ótima perspectiva para os próximos anos.

1. Administração

Com a chegada da crise, houve uma retração da economia no Brasil que impactou Rondônia e fez com que muitas empresas passassem a enfrentar dificuldades financeiras. Isso aconteceu em todos os setores de atividade e por inúmeros fatores, mas atingiu, especialmente, aquelas que já tinham problemas de administração.

Ou seja, enquanto a economia do país crescia, muitas falhas de gestão foram escondidas por bons faturamentos. Agora, após o grande choque que abalou o mercado brasileiro, a excelência na administração, que antes era vista como um diferencial competitivo, passou a ser uma exigência para a sobrevivência e para a retomada do crescimento das empresas.

Assim, criou-se uma necessidade por profissionais qualificados para examinar os processos, propor mudanças e gerenciá-las em companhias de todos os tamanhos e setores. Além disso, muitas delas ainda não se adaptaram aos novos cenários criados pela tecnologia, demandando a ação de especialistas antenados nessas mudanças para as colocarem, de fato, no século XXI.

Nesse contexto, os jovens formados em Administração largam na frente por uma dessas vagas. Por meio do aprendizado de técnicas de gestão, métodos de análise de mercado e noções multidisciplinares acerca do comportamento humano e da sociedade, capacitam-se para lidar com os recursos humanos, materiais e financeiros de empresas e instituições, públicas ou privadas.

Ainda, no curso de Administração, os alunos adquirem habilidades como a liderança, o olhar crítico, a proatividade, o empreendedorismo e a criatividade, exigidas para poderem atuar junto às equipes de gestão dos diversos departamentos de uma organização, com o fim de torná-la mais eficiente.

2. Ciências Contábeis

Da mesma forma que profissionais formados em Administração têm sido procurados para aumentar a eficiência das empresas e melhorar seus resultados em meio ao desaquecimento da economia, os graduados em Ciências Contábeis também estão muito requisitados para esse fim.

O departamento de contabilidade é o responsável por controlar o patrimônio corporativo, registrar os atos administrativos e acompanhar a legislação tributária e fiscal. Assim, é uma área essencial para uma companhia que precisa reduzir custos e evitar despesas desnecessárias com a fiscalização.

Tanto contadores como auditores contábeis são importantes para colocar as finanças da empresa nos eixos, investigar e resolver problemas orçamentários, reduzir custos tributários e auxiliar a equipe de gestão na tomada de decisões estratégicas, fornecendo dados confiáveis. Por isso, em uma época de crise, não faltam vagas para bons profissionais da área.

Mas não é só em momentos de mercado em baixa que os bacharéis em Ciências Contábeis são procurados. O reaquecimento econômico também abre oportunidades a esses especialistas, mais voltados à administração de investimentos e ao controle dos regimes de tributação.

Especialmente em um estado exportador como Rondônia, a atuação de contadores nos departamentos comerciais ou como consultores independentes também é muito importante para garantir os trâmites legais da venda de produtos para o exterior.

Além disso, são profissionais demandados na administração pública direta e indireta, ficando responsáveis pela fiscalização contábil dos contribuintes pessoas físicas e jurídicas. Portanto, órgãos públicos, como a Receita Federal e as Fazendas estaduais e municipais, são um campo de atuação cuja demanda também aumenta com a retomada do crescimento.

3. Direito

Rondônia tem se destacado nos noticiários, como já foi dito, pelos bons resultados de sua economia. Isso se deve, também, ao papel do Estado, garantindo a ordem e a legalidade no mercado e na sociedade como um todo.

Ou seja, com a diversificação e a expansão das relações comerciais locais, o aumento da imigração, a alta na abertura de vagas de trabalho, a ampliação das exportações e o crescimento dos investimentos públicos e privados, cria-se um cenário cada vez mais propenso a disputas e controvérsias. Assim, torna-se maior a carência por profissionais das diversas áreas do Direito.

Por meio do Poder Judiciário e das atividades policiais, o Estado é essencial para regular a vida em sociedade e limitar abusos, assegurando os direitos e o cumprimento dos deveres de indivíduos e de organizações em sua jurisdição — mas também à sociedade cabem as funções primordiais de se defender e de demandar contra constrangimentos.

Nesse sentido, os graduados em um curso superior de Direito estão em toda a cadeia processual, tanto para representá-la (como advogados, defensores públicos ou promotores do Ministério Público), quanto para fiscalizá-la e julgá-la (como delegados de polícia, juízes, procuradores e fiscais).

Portanto, a carreira em Direito é uma das que estarão, por um bom tempo, em alta em Rondônia — até porque empresas e produtores locais precisam, proporcionalmente ao volume de seus negócios, de assistência jurídica e consultoria em áreas como a Trabalhista, a Ambiental, a Tributária e a de Direito Internacional.

4. Engenharia Civil

A Engenharia Civil no estado de Rondônia está em pleno crescimento. Com investimentos privados na expansão das atividades econômicas e obras públicas dos governos federal e estadual impulsionadas por interesses nacionais e pelas demandas locais por infraestrutura, a formação na área tem uma empregabilidade elevada.

Afinal, estamos falando de profissionais que podem trabalhar em todas as etapas da construção civil, desde o projeto, passando pelo planejamento e pela execução, até chegar à fiscalização das obras e dos canteiros.

Em Rondônia, apesar de as implantações das barragens hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio terem sido finalizadas, ainda há uma série de questões a serem resolvidas, como a construção de moradias e de infraestrutura para as comunidades atingidas. Além disso, outras micro e pequenas centrais hidrelétricas aguardam seus licenciamentos para serem erguidas.

Além das obras relacionadas ao setor de energia elétrica, o país tem grande interesse nas duplicações e asfaltamentos das estradas e rodovias do estado, para reduzir o custo dos fretes e aumentar o fluxo do escoamento da produção agropecuária.

No setor ferroviário, há dois projetos importantes: a revitalização da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, para uso turístico, e a construção de uma ferrovia entre Porto Velho e Corumbá (MT), ligando Rondônia à futura Ferrovia de Integração Centro-Oeste (FICO).

Portanto, as oportunidades no setor da construção civil são muitas para os próximos anos. Porém, é importante ressaltar que os jovens devem procurar uma formação que acompanhe as tendências da Engenharia Civil, para que cheguem ao mercado de trabalho atualizados e disputem essas vagas com vantagem sobre seus concorrentes.

5. Engenharia Florestal

Nos últimos anos, a Engenharia Florestal no Brasil é uma área em crescimento contínuo, por conta de atividades econômicas como o mercado de carbono, a silvicultura tanto em áreas naturais como nas plantadas (para a produção de borracha, papel e celulose, por exemplo) e em estudos de impactos ambientais causados pelas obras de construção civil e pela expansão do agronegócio.

Assim, se a Engenharia Civil é uma das carreiras mais promissoras para o futuro próximo em Rondônia, isso significa que a Engenharia Florestal também será bastante demandada.

Isso porque o estado tem o interesse social e econômico de harmonizar o aumento da produtividade local com a preservação da Floresta Amazônica em seu território. Afinal, ela representa uma fonte enorme de riquezas biológicas, além de ser essencial para a sobrevivência de diversas comunidades extrativistas e para o equilíbrio ambiental.

Portanto, a carreira na Engenharia Florestal em Rondônia está em alta e se manterá assim por um bom tempo. Além de ter uma boa parte de seu território coberta pela Amazônia, sua economia baseada na agropecuária e as obras de infraestrutura previstas para o estado requisitarão profissionais qualificados no estudo e manejo das áreas de floresta.

Como deu para perceber, Rondônia está em uma situação econômica muito favorável, crescendo acima da média brasileira e com diversas oportunidades de negócios se apresentando para os próximos anos. Isso faz com que a criação de vagas para algumas carreiras seja dada como certa.

No entanto, para aproveitar o bom momento do estado, é preciso ter uma boa formação profissional. Mas como escolher a instituição certa, que ofereça os melhores cursos?

O que devo considerar ao escolher onde estudar?

O mercado de trabalho está muito competitivo em Rondônia, apesar do crescimento econômico. O problema é que a chegada de mão de obra também é grande. São jovens rondonienses começando suas carreiras e profissionais de outros estados vindo em busca de melhores oportunidades.

Isso não significa que conquistar uma vaga tenha se tornado algo raro. Apenas há uma seleção mais apurada feita pelas empresas e uma concorrência maior em concursos públicos. No entanto, maior concorrência não significa redução de oportunidades.

Afinal, se uma parte dos candidatos é menos qualificada do que o necessário para uma determinada atividade, eles não chegam nem a competir por ela, fazendo somente número. Assim, é essencial que os jovens em início de carreira tenham uma boa formação, pois é esse o diferencial que os colocará junto a profissionais experientes na disputa por um emprego.

Portanto, a escolha da instituição de ensino superior (IES) certa é fundamental para abrir as portas do mercado de trabalho. Mas o que levar em conta na hora da decisão? Abaixo, separamos alguns itens importantes para serem observados. Confira!

Cursos reconhecidos pelo MEC

É primordial que a instituição a ser escolhida ofereça cursos de graduação superior reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC). Sem esse reconhecimento, não há a validação do diploma em todo o território nacional.

Por isso, antes de fazer sua inscrição, faça uma busca no site do MEC pelo curso e IES pretendidos e confira o status tanto de um como de outro. Ambas as situações devem ser classificadas como ativas.

Tradição da instituição

A tradição de uma IES é resultado de uma constância na criação de vagas, fruto justamente do reconhecimento, tanto pelo mercado quanto pelos alunos e ex-alunos, da qualidade do ensino. Dessa forma, o diploma que leva o nome de uma instituição tradicional tende a ser mais bem-visto pelos recrutadores, pois é uma garantia da boa formação acadêmica e profissional do candidato.

Local do campus

Saber a localização do campus onde o curso será ministrado é importante para fazer seus planejamentos familiar, pessoal e financeiro. Ou seja, é necessário ter uma noção de suas possibilidades e vontades, pois pode ser que o curso seja oferecido somente em outras cidades, por exemplo, longe da família e exigindo despesas com moradia e transporte.

Pontuação dos cursos

Confira, também, as pontuações dos conceitos do curso pretendido e da instituição junto ao Ministério da Educação. Essa nota é atribuída por meio de avaliações periódicas, como o Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes) e o CPC (Conceito Preliminar de Curso).

Estrutura da instituição

Uma IES que tenha boa estrutura, com bibliotecas, laboratórios para aprendizado na prática e locais para o desenvolvimento de empresas júnior, tem capacidade de oferecer uma formação mais completa aos alunos, o que é reconhecido pelo mercado.

Portanto, conheça os campus do curso e converse com os estudantes para saber como é a vida acadêmica lá e as facilidades ou dificuldades que a instituição apresenta.

Como vimos, saber quais são as carreiras que estão em alta em Rondônia e que têm uma boa perspectiva para os próximos anos é importante para decidir qual graduação cursar. Mesmo assim, uma vaga no mercado de trabalho do estado ainda é bastante concorrida, sendo essencial que os jovens tenham como diferencial competitivo o diploma de uma boa instituição.

E você, já decidiu qual carreira quer seguir e onde cursar sua graduação? Então, entre em contato conosco e conheça as vantagens que a Faculdade de Rondônia — FARO pode oferecer para seu futuro!

[rock-convert-cta id=”1273″]
 

Quer receber conteúdos que vão te ajudar na escolha da carreira?

Cadastre-se e receba por e-mail conteúdos exclusivos e em primeira mão!

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter