Indo morar sozinho para fazer faculdade? Saiba como se planejar

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Fazer faculdade em outra cidade não é nada fácil. Além da rotina puxada de estudos e, na maioria das vezes, um trabalho ou estágio, quem está indo morar sozinho deve ficar atento a detalhes que, durante toda a vida, não precisou prestar atenção — afinal, os pais provavelmente resolviam tudo!

Desde aprender a cozinhar e fazer as compras do mês, passando por burocracias de banco e controle financeiro, a lista de habilidades a serem aprendidas é bem grande — mas “se virar” por conta própria não é impossível!

Para te ajudar a atravessar esse momento com mais tranquilidade, fizemos o post de hoje. Abaixo, você vai encontrar as melhores dicas para se planejar melhor e não passar perrengue ao mudar de cidade, para fazer faculdade. Confira:

1. Conheça a cidade

Para dar o primeiro passo dessa nova fase da sua vida com o pé direito, é preciso começar a se planejar antes mesmo da mudança. Para isso, conhecer bem a cidade em que você pretende morar é essencial.

Não economize tempo e dedicação nas pesquisas: a internet é uma ótima fonte de informações e você poderá encontrar detalhes sobre os bairros, questões de segurança, custo de vida, meios de transporte disponíveis na cidade, além, é claro, de informações sobre lazer e cultura — afinal, nem só de estudos se faz a vida universitária.

Mas as pesquisas virtuais não bastam. Por isso, se possível, busque visitar a cidade e conhecê-la de perto, antes de tomar uma decisão definitiva. Caso não exista essa possibilidade, converse com pessoas que já moram lá, como parentes, conhecidos ou mesmo veteranos da faculdade. É possível encontrar esses alunos em grupos nas redes sociais, por exemplo.

2. Encontre a moradia ideal

Visitou a cidade e gostou do que viu? Então é hora de buscar o seu novo lar! Antes de mais nada, existem alguns fatores que você precisa considerar, como a região da cidade e sua disponibilidade financeira.

Na maioria das vezes, é mais vantajoso morar perto da universidade. Além de, geralmente, os preços de aluguéis serem melhores, você ainda economiza tempo e dinheiro com o transporte até o campus.

Sobre o valor do aluguel, uma dica extra: jamais comprometa mais de um terço de sua renda mensal com ele. Caso seja impossível arcar com tudo sozinho, o ideal é dividir o espaço com outros estudantes.

Algumas pessoas têm receio de morar em república, afinal, dividir a casa com desconhecidos compromete bastante a privacidade. No entanto, para a maioria dos estudantes, os colegas de república se transformam em uma segunda família, pois os laços de amizade se tornam ainda mais fortes quando estamos longe de casa e precisamos de apoio emocional.

3. Pense nas fontes de renda

De onde vai vir o dinheiro que você usará para se manter? Você vai poder contar com a ajuda dos pais ou terá que arcar com tudo sozinho? Pretende conseguir um emprego ou bolsa de estágio?

Com o apoio financeiro da família, a vida universitária fora de casa se torna bem mais tranquila e você pode se dedicar completamente aos estudos sem maiores preocupações. No entanto, se mesmo assim você quiser fazer uma grana extra ou complementar a sua renda, existem formas de fazê-lo sem comprometer a vida acadêmica.

Planeje bem os seus horários e veja se dá para encaixar trabalhos como freelancer. Há opções presenciais, como garçom ou recepcionista, e também virtuais, como redação de conteúdo para web e resolução de questões. Dar aulas particulares ou vender doces na faculdade também são opções fáceis para ganhar dinheiro e que não vão tomar muito do seu tempo.

Caso você queira um emprego formal, o ideal é pesquisar as possibilidades com certa antecedência, elaborar um bom currículo e enviá-lo para as empresas de seu interesse. No caso das bolsas de estágio, é possível encontrar empresas parceiras ou oportunidades dentro da própria universidade.

4. Considere o deslocamento

Por menor que seja a cidade em que você pretende morar para estudar, calcular o tempo gasto diariamente com deslocamento é essencial — e isso é ainda mais importante se você conseguir um emprego com horários fixos.

Pode parecer bobagem, mas conhecer os melhores trajetos de casa para a faculdade, da faculdade para o trabalho e assim por diante, evita atrasos e faltas desnecessárias, além de economizar bastante tempo.

Outro ponto importante é considerar os horários em que você precisará andar sozinho e a segurança local. Afinal, trata-se de uma cidade que você não conhece e ficar perdido tarde da noite não é uma opção!

5. Fique atento à alimentação

Eis um ponto importante na vida dos universitários que moram sozinhos: a alimentação. É só nesse período da vida que alguns deles descobrem que a comida não se faz sozinha e que a geladeira não se abastece por milagre!

É muito comum ouvir relatos de alunos que vivem à base de macarrão instantâneo e misto-quente, o que não é nem um pouco saudável. Então, antes de fazer as malas e partir para a independência, aprenda a cozinhar pelo menos o mínimo necessário para “sobreviver” fora da casa dos pais. Além de melhor para a saúde, comer em casa também é muito mais barato.

Aprender a fazer compras de supermercado de forma inteligente também é bem importante para não cair em tentação e encher a despensa apenas com biscoitos, chocolates e outros alimentos nada saudáveis. Nessa hora, mantenha o foco e compre aquilo que é realmente necessário.

6. Resolva as questões burocráticas

Ao mudar-se para uma nova cidade, existem algumas pendências burocráticas que devem ser resolvidas imediatamente para evitar dores de cabeça no futuro.

Uma das mais importantes é abrir uma conta em um banco da cidade ou transferir a sua agência bancária para o novo endereço. Isso facilitará bastante suas transações financeiras e a resolução de possíveis problemas que possam vir a ocorrer.

Outro ponto bem importante e que deve ser checado com antecedência é a cobertura de seu plano de saúde. Confira se ele é válido na nova cidade ou se há possibilidade de transferência.

Caso você não tenha plano particular, pesquise sobre o sistema público de saúde da cidade e os postos mais próximos da sua nova casa.

Se o local em que você pretende morar for longe da sua cidade atual, pode ser interessante transferir o seu título de eleitor. Isso facilitará bastante para que você não tenha que justificar sua ausência em períodos eleitorais.

Finalmente, lembre-se de transferir as contas de água e luz da sua nova moradia para o seu nome. Em algum momento, você pode precisar de um comprovante de endereço e é bem mais prático já tê-los em mãos.

7. Pense nos itens de casa

Se for morar sozinho ou começar uma república do zero, você precisará comprar todos os itens e utensílios domésticos básicos que uma casa precisa para funcionar.

Isso vai desde eletrodomésticos e móveis, como geladeira e sofá; passando por utensílios do dia a dia, como pratos, panos de chão e roupas de cama; até aqueles itens pequenos dos quais só damos falta quando precisamos, como um abridor de latas!

Nessa hora, vale pedir ajuda de quem já tem experiência. Peça ajuda de seus pais ou amigos que moram sozinhos e faça uma lista de tudo o que você pode precisar.

8. Desapegue!

Na hora de arrumar as malas para se mudar para o novo lar, nossa mente nos diz que vamos precisar de todas as nossas coisas — dos sapatos à coleção de bichinhos de pelúcia da infância!

É bem pouco provável que você terá como levar e guardar todas as suas coisas, portanto, não carregue toda a sua “tralha” para o seu novo lar. Pode parecer que todos os seus livros e roupas são indispensáveis, mas lembre-se de que seu espaço será limitado.

Pense de forma objetiva em como será a sua rotina, escolha apenas o que for realmente necessário e desapegue do resto. Lembre-se de que todos os pertences que você tanto ama estarão te esperando na casa dos seus pais.

9. Aprenda a administrar suas finanças

Saber administrar bem o seu dinheiro é um ponto importantíssimo para quem decide morar sozinho para fazer faculdade. Afinal de contas, fazê-lo durar até o fim do mês é um desafio para a maioria dos universitários.

Em geral, ao menos nos primeiros semestres, os estudantes costumam contar com a ajuda financeira da família. A não ser que você seja bastante privilegiado, é bem provável que sua renda seja limitada e que você tenha que passar alguns “apertos” que não existiam na casa dos seus pais.

Portanto, vai ser necessário adequar os gastos e saber gerenciar a própria grana. Para ter um controle maior dos seus gastos, aposte em uma planilha simples no Excel ou baixe um aplicativo de celular com essa funcionalidade.

Ah, e lembre-se de que de nada adianta ter várias ferramentas e não usá-las. Suas finanças não vão se administrar sozinhas!

10. Mantenha sua rotina em ordem

Se a organização não é o seu forte, essa é hora para começar a desenvolver a sua disciplina. Assim como no caso da alimentação, você ficará responsável por lavar as suas próprias roupas, fazer faxina, pequenos consertos etc.

Portanto, é importante estabelecer uma rotina para a manutenção da casa e segui-la à risca. Caso você more com outras pessoas, o ideal é dividir as tarefas com os outros moradores. Façam juntos um cronograma que fique visível para todos.

A manutenção da rotina vai além de organizar a bagunça em casa. Viver por conta própria também implica em um aumento na quantidade de coisas a serem feitas — desde pagar as contas em dia até resolver pendências pessoais.

São muitas as tarefas para serem administradas, sem contar com o tempo que você precisará para se dedicar aos estudos e às atividades da faculdade. O ideal é contar com algumas ferramentas úteis de organização, como agenda e apps de listas de tarefas.

11. Explore a cidade

Como dissemos no início do post, nem só de estudos se faz a vida do universitário! Explorar as possibilidades de lazer da nova cidade são tão importantes quanto sua dedicação à vida acadêmica. Afinal de contas, se divertir é essencial para manter a cabeça funcionando!

Portanto, busque conhecer mais sobre a vida cultural da cidade, explore os museus, cinemas e teatros, descubra se há festivais regionais de música ou gastronomia, por exemplo. As cidades do interior costumam ter programações tradicionais e grandes festas temáticas e exposições.

Conheça também a vida noturna da cidade — dos bares às festas universitárias, de acordo com o seu gosto. Mas se você é do time dos mais tranquilos e curte a natureza, que tal fazer caminhadas ou andar de bike pelos parques e praças da sua nova cidade?

12. Aprenda a socializar

Um dos maiores desafios de quem vai morar sozinho em uma nova cidade para fazer faculdade é “abandonar” os antigos amigos. Em um primeiro momento no novo lar, você pode se sentir bastante sozinho e deslocado, o que aumenta ainda mais a saudade de casa e da galera.

Mas, por mais que você ame os amigos que você já tem, ao mudar-se para outra cidade, você vai precisar aprender a “desapegar” e buscar novas amizades. Para isso, nada de ficar trancafiado em casa!

Sabe as dicas que demos no tópico anterior? Ao botá-las em prática, aproveite para socializar, puxar papo com outras pessoas e fazer novas amizades.

O ambiente da faculdade também é bastante promissor para encontrar novos amigos. É bem provável que existam outros novatos que vieram de outras cidades assim como você e que também desejam se enturmar.

Vale puxar papo nos corredores, formar grupos de estudo ou mesmo convidar aqueles colegas mais simpáticos para tomar um café ou dar um passeio pela cidade.

13. Encontre sua turma!

“Fazer um social” já é um grande passo para conhecer gente e fazer novas amizades. No entanto, pode ser difícil encontrar aquelas pessoas que têm tudo a ver com você logo de cara.

Uma boa dica para quem quer realmente encontrar uma turma que compartilhe coisas em comum é frequentar lugares que tenham a ver com os seus hobbies e interesses.

Você é fã de futebol? Que tal se juntar ao time da faculdade? É apaixonado por literatura? Então busque um grupo de leituras compartilhadas!

Outra maneira de fazer amigos com interesses em comum é por meio das redes sociais. Busque grupos e comunidades de temas de seu interesse e procure pessoas que morem na mesma cidade em que você.

14. Encontre uma república 

Essa é uma dica do tipo 2 em 1: você fará novos amigos e, de quebra, uma boa economia de grana no fim do mês!

Muitos estudantes que se mudam para fazer faculdade em outra cidade optam por morar sozinhos, visando ter mais privacidade e sossego.

No entanto, se você não conhece ninguém no novo local e não está acostumado a viver por conta própria, essa opção pode ser bastante solitária.

Ao dividir a casa com outros estudantes, você acaba criando laços de amizade profundos e duradouros — as repúblicas universitárias se transformam em verdadeiras famílias para os estudantes!

Além disso, dividir as despesas de aluguel e contas com outras pessoas é uma mão na roda no quesito economia. Mesmo que você não esteja passando aperto, é sempre melhor ter uma grana sobrando para situações inesperadas.

Para quem está indo morar sozinho para fazer faculdade, tudo é novidade e é normal sentir aquele frio na barriga. Porém, com planejamento e disposição, você vai tirar essa experiência de letra e curtir a vida universitária com tranquilidade!

E então, curtiu o post de hoje? Você também conhece alguma dica bacana para facilitar os planos de quem vai encarar o desafio de morar sozinho? Conta pra gente aqui nos comentários!

Quer receber conteúdos que vão te ajudar na escolha da carreira?

Cadastre-se e receba por e-mail conteúdos exclusivos e em primeira mão!

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter