Vale a pena ter um curso superior? Entenda aqui!

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

A fase final do ensino médio realmente é um período de várias dúvidas sobre o futuro, portanto, é comum muitos alunos se questionarem se vale a pena ter um curso superior. Com diversas possibilidades de escolha pela frente, o estudante, muitas vezes, fica inseguro sobre qual caminho seguir.

Não é à toa que os testes vocacionais são tão buscados nesse momento. O objetivo é identificar qual é a área do conhecimento ou a profissão mais compatível com o perfil do estudante. Nesse processo de autoconhecimento e, ao mesmo tempo, de análise do mercado de trabalho, é importante avaliar quais são as vantagens que a faculdade oferece.

Para auxiliá-lo nesse tipo de dúvida, apresentamos a seguir alguns motivos pelos quais vale a pena ter um curso superior. Confira!

Por que vale a pena ter um curso superior?

A formação superior é um diferencial no Brasil. De acordo com o estudo Education at a Glance 2018, elaborado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), apenas 17% dos brasileiros têm o ensino superior. Esse é um percentual muito baixo se comparado à média dos países-membros da OCDE, que é de 44%.

Mesmo entre outros países da América Latina, o Brasil deixa a desejar, ficando atrás da Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica e México. O recado não poderia ser mais claro: em um mercado de trabalho disputado e cada vez mais exigente, concluir a faculdade é um diferencial.

É por isso que muitos pais pressionam os filhos para prestar vestibular e escolher uma carreira. Aliás, parte dos jovens entra na faculdade para satisfazer as expectativas da família. Segundo um estudo encomendado pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), 8% dos jovens dizem que entrar na faculdade é importante “porque é o sonho dos pais”.

Mas essa não deve ser a sua principal motivação. A formação superior precisa corresponder aos seus objetivos pessoais, profissionais e financeiros. E a faculdade pode te ajudar a construir o futuro que você deseja. Bons motivos não faltam. Detalhamos 10 vantagens a seguir. Confira!

Quais os benefícios de se ter um curso superior?

1. Conquistar melhores empregos

Possivelmente, não é novidade para você que existe uma grande competição por vagas de trabalho. Se no passado bastava o ensino médio para se conseguir um emprego ou mesmo com o ensino fundamental era possível conquistar uma oportunidade de trabalho braçal, hoje em dia a situação mudou bastante.

Cada vez mais as empresas exigem novas qualificações para o candidato a uma vaga. Logo, na corrida do mercado de trabalho vence quem está devidamente capacitado para preencher os requisitos das organizações. Nesse sentido, vale a pena ter um curso superior para aumentar as chances de conquista de um emprego satisfatório.

O conceito de melhor pode ser relativo, pois depende da definição de cada pessoa, mas é comum os profissionais valorizarem empregos com funções estratégicas, possibilidade de crescimento, trabalhos técnicos e intelectuais etc. Nesses casos, a graduação é praticamente um passaporte para o alcance de tais vagas.

Mesmo que o trabalho braçal ou operacional seja digno como qualquer outro, ele também é um tanto repetitivo e nem sempre oferece oportunidades de crescimento na carreira. Além disso, nesses casos, o salário tende a ser baixo.

2. Aumentar a renda

Diversas pesquisas atestam que ser graduado no ensino superior significa ganhar mais do que quem tem apenas o ensino médio. Como forma de recompensar os anos na faculdade e o conhecimento acumulado, as empresas tendem a pagar mais para quem ostenta um diploma de nível superior.

Nos próprios planos de cargos e salários das organizações, nos quais há a definição das atribuições, atividades, tarefas etc., é comum o profissional graduado estar em um nível hierárquico superior a quem possui somente diploma de ensino médio. Portanto, a faculdade contribui de forma significativa para a melhoria do padrão de vida do indivíduo formado.

3. Ser promovido no trabalho

Em vários casos, os graduandos já ingressam no mercado de trabalho por meio de um estágio, como forma de ganhar experiência prática na profissão escolhida. Com a conclusão do curso, pode ocorrer de esses estagiários serem efetivados na empresa, afinal, já estão acostumados com a rotina da organização.

Além disso, o diploma de curso superior serve para que muitos profissionais, que antes só tinham ensino médio, consigam ascender na carreira por meio de promoções. A partir do momento em que oferecem um diferencial para o mercado de trabalho, os profissionais graduados aumentam as chances de assumir postos de destaque nas empresas.

4. Ingressar no serviço público

A ideia do curso superior como um passaporte para boas oportunidades na carreira não é à toa. Por exemplo, cursar uma faculdade também favorece a busca por vagas bem remuneradas no setor público. Você, talvez, já tenha percebido que os salários dos cargos de analista são maiores do que os de técnico.

Além disso, em muitos concursos só há a exigência do nível superior, independentemente do curso escolhido pela pessoa.

Dessa forma, o graduado fica apto a concorrer a vagas de diferentes órgãos públicos, o que contribui para uma colocação mais rápida no mercado de trabalho. Em alguns cargos, como no Poder Judiciário, é comum haver ainda um adicional no salário para profissionais que têm nível superior, mas passaram para um concurso de técnico (nível médio).

5. Aprimorar o senso crítico

Grande parte dos estudantes passa por um processo de amadurecimento da personalidade durante a faculdade. Se no ensino médio muitas vezes os alunos recebiam conhecimentos prontos e acabados, no ensino superior eles aprimoram as capacidades de pesquisa, escrita, debate etc. e, assim, geralmente adquirem uma nova visão de mundo.

Você talvez já tenha ouvido a expressão “senso comum”, não é mesmo? Ela serve para caracterizar um conhecimento popular, baseado na experiência das pessoas, como cortar o cabelo em determinada fase da lua ou não tomar leite após comer manga. Embora esse tipo de ensinamento seja transmitido por gerações, quase sempre não passa por filtros que garantam a veracidade dos fatos.

Já na faculdade o graduando adquire a capacidade do senso crítico diante dos fatos, das teorias e dos pensamentos. Isso significa que o aluno passa a comparar situações, analisar causas e consequências, entre outras atitudes, para emitir um juízo de valor aprofundado sobre determinado acontecimento.

Por exemplo, quem nunca ouviu dizer que bastava o governo imprimir mais dinheiro para resolver o problema da pobreza no Brasil? Esse tipo de pensamento muitas vezes parte do chamado senso comum.

Contudo, o estudante universitário pode aprender que tal ação do governo poderia criar um grande problema para a economia, pois a impressão demasiada de moeda aumenta significativamente a inflação, que é o aumento generalizado dos preços. Afinal, com mais dinheiro em circulação, as pessoas comprariam mais, faltariam mercadorias no comércio e os preços subiriam devido à escassez de produtos.

Com um conhecimento lapidado na faculdade, o estudante passa a sustentar argumentos sólidos, seja num trabalho acadêmico, numa entrevista de emprego ou em um relatório para uma empresa.

6. Especializar-se em uma área de conhecimento

O ensino médio serve para transmitir uma base geral de conhecimentos em diferentes disciplinas. Ao concluir essa etapa de formação, o aluno termina a chamada educação básica.

Entretanto, para melhorar as chances de ingresso no mercado de trabalho, seja por meio de um emprego ou até da abertura de um negócio próprio, o estudante terá que buscar a especialização.

Sem dúvida, vale a pena ter um curso superior quando se quer seguir por uma área do conhecimento bem definida, na qual se pode desenvolver profissional e intelectualmente. Como as faculdades oferecem cursos de várias áreas, o estudante tem a liberdade de escolher o caminho com o qual mais tem afinidade.

7. Obter satisfação pessoal

A satisfação pessoal é uma das principais razões que levam brasileiros a ingressar no curso superior, de acordo com o estudo encomendado pela ABMES. No levantamento, 31% dos jovens responderam que decidiram fazer faculdade por que é “importante para mim”. Outros 20% disseram que sempre sonharam em cursar o ensino superior.

Observando esses dois dados é possível constatar que mais da metade dos jovens busca uma satisfação pessoal por meio da faculdade. Isso porque a graduação não é o caminho apenas para conseguir bons empregos e salários, mas também garantir realizações que não podem ser avaliadas apenas da perspectiva do mercado de trabalho.

Estamos falando de propósitos e vocações. A faculdade pode nos aproximar do que é mais importante. Em todas as áreas de formação há valores que são compartilhados pelos profissionais formados. Um advogado, por exemplo, deve se pautar por princípios como justiça social e dignidade humana. Isso faz parte do código de ética da profissão e, para muitos estudantes, é a razão principal para terem iniciado a graduação.

Aliás, a formação ética está presente em todas as áreas do conhecimento. A carreira do engenheiro florestal, por exemplo, tem como principal objetivo a preservação e o desenvolvimento sustentável e harmônico do ser humano, do ambiente e de seus valores, conforme define o código de ética da profissão.

Se você está em dúvida sobre diferentes carreiras, talvez seja interessante consultar o código de ética antes de fazer a escolha. Os princípios da profissão vão indicar se uma determinada área de formação corresponde com os seus valores ou não.

8. Criar uma rede de relacionamentos

A faculdade é um ambiente propício para fazer amizades com pessoas que compartilham os mesmos interesses que você. Durante o curso superior, você, certamente, vai formar um grupo de amigos e é muito provável que esse grupo se mantenha unido por muitos anos, até porque todos serão colegas de profissão.

Mas os contatos feitos durante a graduação não se restringem às amizades. A faculdade favorece a criação de redes de contato que têm muito valor no mercado profissional, o conhecido networking. Com o tempo você vai ver essa rede se expandir.

Os vínculos podem ser criados com colegas da sua turma, estudantes de outras áreas, professores, pesquisadores e especialistas. Esses contatos abrem portas, por isso é importante que durante o curso você participe dos eventos acadêmicos, grupos de estudo e encontros entre amigos.

Palestras, congressos e feiras são excelentes ambientes para você se aproximar de profissionais da sua área que já estão no mercado de trabalho, de empresários e quem sabe até de parceiros que podem te ajudar a ter o próprio negócio. O fundamental é estar aberto às oportunidades e desenvolver bons relacionamentos.

9. Fazer intercâmbio acadêmico

Se você gosta de viajar e conhecer novas culturas, a faculdade pode abrir portas para o mundo. A relação entre instituições de ensino é cada vez mais próxima e permite aos estudantes participar de intercâmbios acadêmicos, que muitas vezes são patrocinados.

Conseguir uma bolsa de estudos é algo possível e estimulado pelas universidades. Existem opções de curto prazo, ainda durante a faculdade, como também durante a pós-graduação. Então, fica a dica: invista também no curso de idiomas para não perder nenhuma oportunidade.

10. Alcançar a independência financeira

O curso superior, como já citamos, vai abrir espaço para que você conquiste melhores empregos e salários. Assim, você conquistará em pouco tempo a autonomia de quem é capaz de sustentar os próprios gastos e padrão de vida. Com o passar dos anos, se você souber administrar bem o próprio dinheiro, vai alcançar a independência financeira.

Esse é um conceito que ainda gera muita confusão, por isso, vamos explicá-lo brevemente. Independência financeira é quando você consegue viver apenas com o rendimento financeiro do patrimônio que acumulou ao longo dos anos. Sabe aquela história de viver de renda? Então, isso é a independência financeira.

De certa forma, todos nós viveremos de renda um dia, quando nos aposentarmos. O problema é que a aposentadoria pública não é capaz de manter o mesmo padrão de vida. Por isso, é fundamental começar a se preparar desde já. E é aí que a faculdade pode fazer a diferença. Isso porque profissionais com ensino superior têm rendimentos maiores e conseguem investir melhor o próprio dinheiro.

Um estudo feito pela Anbima mostra que 40% dos brasileiros não faz nenhum tipo de investimento. São pessoas que não poupam por uma simples razão: não sobra dinheiro para isso. Somente 10% da população tem o compromisso rigoroso de guardar parte do que ganha todos os meses.

Entre essas pessoas que conseguem guardar dinheiro todos os meses, 45% têm ensino superior, 51% pertencem à classe A e ganham mais de dois salários mínimos. Se você quer alcançar a independência financeira, vale a pena fazer faculdade agora para conquistar bons rendimentos.

A trajetória construída a partir do curso superior vai permitir que você consiga guardar dinheiro todos os meses e invista no seu futuro. Quanto mais cedo você começar, melhor.

Se você quer saber mais sobre o assunto e ficar por dentro de todas as novidades, assine a nossa newsletter e receba nossos artigos gratuitamente no seu e-mail.

Quer receber conteúdos que vão te ajudar na escolha da carreira?

Cadastre-se e receba por e-mail conteúdos exclusivos e em primeira mão!

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter